UM HOMEM SÉRIO

(35 mm, 18 min, cor, 1996)
(janela 1.85, som óptico mono)

Morreu Hilário Pestana, o mais famoso, o mais engraçado e, por ironia, o mais triste dos atores brasileiros. Hilário passou por várias fases do cinema nacional: pelas chanchadas, pelos clássicos da Vera Cruz, pela pornochanchada, pelos experimentais. Era adorado pelo público, tinha a vocação para o riso, mas desejava apenas e tão somente ser um homem sério.

 Ari França
Foto por Alex Sernambi: Ari França

TEXTO FINAL

MÚSICA ("Mulata bacana", de José Roberto Torero)

Direção: Dainara Toffoli e Diego de Godoy

Produção Executiva: Nora Goulart e Luciana Tomasi
Roteiro: José Roberto Torero, Gustavo Cascon e Dainara Toffoli
Direção de Fotografia: Alex Sernambi
Direção de Arte: Denise Zelmanovitz e Ênio Ortiz
Música: Kito Siqueira
Direção de Produção: Marco Baioto
Montagem: Paulo Sacramento
Assistente de Direção: Ana Luiza Azevedo e Márcia Baldissera

Uma Produção da Casa de Cinema PoA

Elenco Principal:
Ari França (Hilário Pestana)
Oscar Simch (empresário)
Leverdógil de Freitas (cineasta maldito)
Sandra Dani (atriz, Jocasta)
Cláudio Heemann (psiquiatra)
Tânia Carvalho (Helô)

CRÉDITOS COMPLETOS

Prêmios

  • 4º Prêmio Iecine (Governo do Estado/RS), 1995:
    Apoio à Produção.
  • 24ºFestival de Gramado, Cinema Latino e Brasileiro, 1996:
    Melhor Curta (Júri Popular), Melhor Roteiro de Curta, Melhor Ator (Ari França). Melhor Curta Gaúcho, Prêmio Especial de Curta Gaúcho (Ari França).
  • 29º Festival do Cinema Brasileiro, Brasília, 1996:
    Melhor Direção de Arte.
  • 16° Festival Cinematográfico Internacional del Uruguay, Montevideo, 1998:
    Menção especial.

 

10/08/1996

AnexoTamanho
Um_Homem_serio.mp3658.82 KB